Há espaço para o retorno ao trabalho presencial?
novembro 30, 2021
Solutis e Dynatrace firmam parceria e expandem atuação
dezembro 2, 2021

As principais tendências de cloud para 2022

Sol solutis post CLoud tendencias 2022_Blog 750x500

A pandemia trouxe restrições e desafios às empresas que implicaram na aceleração da jornada cloud. As empresas precisaram correr com seus planos de migrar aplicações e sistemas para a nuvem. A consultoria Gartner estima que os gastos públicos com serviços em nuvem fecharão o ano com alta de 23% em relação a 2020, totalizando US $ 332 bilhões.  O ritmo será mantido? Quais as tendências de cloud para 2022?

Oito tendências de CLOUD para ficar de olho em 2022

1) Conteinerização

Serviços como o Docker ou o Kubernetes continuarão em crescimento por permite a implementação de aplicativos com mais rapidez e segurança.

2) Nuvem híbrida e multi-nuvem

A nuvem privada garante baixa latência e altas velocidades de transferência de dados. Já uma nuvem pública reduz os custos de infraestrutura. Nuvens híbridas permitem unir o melhor dos dois mundos. As empresas optaram cada vez mais por diversas nuvens.

3) IoT: Internet das coisas

A Cisco estima que a IoT (Internet of Things, ou internet das Coisas) irá movimentar cerca de US$ 19 trilhões até 2023. Já o Gartner prevê que o número de dispositivos conectados de Internet das Coisas chegará a 25 bilhões já em 2021 e dobrar em 2022. Muitos desses dispositivos estão conectados com serviços em nuvem, pressionando mais a demanda por computação em nuvem nos próximos anos.

4) Edge Computing

Na outra ponta, a alta pressão pela nuvem também encontra um outro modelo de computação que fazer parte do processamento na ponta. Por exemplo, uma imagem captura poder ser analisada na própria câmera e trafegar informações de texto ao invés de carregar a imagem para ser analisada em um data center centralizado.

5) Green Cloud

Como todo mercado, os impactos ambientais precisam ser analisados, reduzidos ou compensados. O Departamento de Energia dos EUA estima que os data centers respondem por 2% de todo o consumo elétrico nos Estados Unidos, os provedores de nuvem vão ampliar esforços para reduzir consumo de energia, o lixo eletrônico e as pegadas de carbono.

6) Inteligência Artificial

Plataformas de aprendizado de máquina exigem grande capacidade de processamento e banda. Só datacenters em nuvem tornam a tecnologia disponível para todo tipo de empresa. O crescimento do uso de cloud é proporcional à evolução da capacidade dos algoritmos de IA.

7) Trabalho híbrido vs desktops virtuais

Com os modelos híbridos de trabalho, mais pessoas trabalharão em desktops virtuais em nuvem, auxiliando empresas a reduzir investimentos, TCO e os esforços de atualizações de hardware ou preocupações com segurança.

8) Serverless

A nuvem sem servidor é uma tendência. Muda o olhar da tecnologia para sua aplicação, na medida em que muda o consumo de capacidade de armazenamento, banda e processamento para serviços. A infraestrutura passa a ficar invisível para o consumidor que passa a pagar pela necessidade de determinado aplicativo ou sistema.

Cloud continua avançando. Esta é a terceira onda.  A primeira surgiu com software as a servisse e a segundo após a crise do subprime que forçou empresas a reduzir custos e buscar mais competitividade. nesta terceira onda, viabilizada pela pandemia, as empresas precisaram acelerar a jornada para a nuvem e capacitar as empresas a operar desta nova forma.